31/03/2018 às 10h17min - Atualizada em 31/03/2018 às 10h17min

Conheça os atuais pré-candidatos à Presidência da República

Mais Goiás
Foto Reprodução

As eleições ocorrem apenas em outubro, o registro oficial de candidatos, em agosto, mas, à despeito dos prazos, 17 candidatos se adiantaram em anunciar a participação no pleito presidencial de 2018.

Entre os nomes, a representatividade feminina permanece ínfima, com apenas três mulheres, até o momento: Manuela D’Ávila (PCdoB), Marina Silva (Rede) e Valéria Monteiro (PMN).

Com cerca de quatro meses para o registro oficial, outras candidaturas ainda podem surgir. É o caso Aldo Rebelo (PSB), do ministro da Fazenda Henrique Meirelles (PSD), Paulo Rabelo de Castro (PSC) e do atual líder do Executivo Michel Temer (MDB), o qual detém baixo índice de popularidade.

De acordo com consultoria proprietária do Índice de Positividade Brasil (IP Brasil), a Map, a popularidade de Temer está estacionada em 2%. O resultado foi elaborado a partir da análise de 1,2 milhão de posts publicados nas redes sociais e de 250 artigos de formadores de opinião.

Confira lista alfabética dos atuais pré-candidatos à Presidência da República:

1. Álvaro Dias (Podemos)

(Foto: reprodução/internet)

No quarto mandado como Senador, de modo que os últimos três são consecutivos. Álvaro, que iniciou carreira política no então PMDB, foi governador do Paraná entre 1987 e 1991.

2. Ciro Gomes (PDT)

(Foto: reprodução/internet)

Ex-governador do Ceará, Ciro também já foi prefeito da capital Fortaleza e deputado estadual e federal pelo mesmo estado. Esta é a sua terceira candidatura à presidência, sendo que já foi derrotado em 1998 e em 2002. Atual vice-presidente da legenda, já foi também ministro da fazenda do governo de Itamar Franco e início da gestão FHC. Ainda, foi ministro da Integração Nacional no primeiro mandato de Lula.

3. Cristovam Buarque (PPS)

(Foto: reprodução/internet)

Ex-ministro da Educação do primeiro período da gestão Lula, Cristovam também já foi governador do Distrito Federal e atualmente acumula seu segundo mandato no Senado. Ex-reitor da Universidade de Brasília, o político que também é engenheiro mecânico, Cristovam divide opiniões em relação à sua atuação no que diz respeito à Educação.

4. Eymael (PSDC)

(Foto: reprodução/internet)

Na legenda desde 1962, quando a sigla aina era PDC, Eymael tem um dos mais conhecidos jingles das campanhas presidenciais. Ele já participou de quatro pleitos ao Planalto, mas saiu derrotado em todas. Deputado federal constituinte, acumulou dois mandatos na Câmara e disputou a prefeitura de São Paulo em 2012, quando ficou em 11° posição, com cerca de 5 mil votos.

5. Fernando Collor (PTC)

(Foto: reprodução/internet)

Alvo de um processo de impeachment em 1992, quando deixou a presidência, Collor foi o primeiro líder do Executivo eleito pelo voto no Brasil pós-ditatorial. Atualmente, cumpre o segundo mandato consecutivo como senador por Alagoas. Já foi prefeito de Maceió, deputado federal e governador do mesmo estado.

6. Flávio Rocha (PRB)

(Foto: reprodução/internet)

Executivo das lojas Riachuelo, ingressou o PRB para o pleito presidencial. Por duas vezes, já foi deputado federal pelo Rio Grande do Norte e também é vice-presidente da Guararapes, empresa que engloba o referido conjunto de lojas. Ainda lidera o movimento Brasil 200, que defende posturas conservadoras na economia e nos costumes. Possui discurso polêmico e já foi condenado por relação com trabalho escravo.

7. Geraldo Alckmin (PSDB)

(Foto: reprodução/internet)

Figurinha carimbada do tucanato paulista, Alckmin foi candidato à presidência em 2006, quando foi derrotado por Lula. É o atual governador de São Paulo, que recebeu críticas pela gestão da crise hídrica e das merendas escolares no estado. Médico, já foi prefeito da capital paulista e deputado estadual e federal pela Unidade Federativa. Em 2014, foi substituído por Aécio Neves no pleito presidencial. Presidente nacional da legenda, anunciou pré-candidatura ao planalto ainda em 2017.

8. Guilherme Boulos (Psol)

(Foto: reprodução/internet)

Com pré-candidatura lançada pelo Psol no último 10/3, Boulos é coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) e oferece alternativa à esquerda para o Planalto. Com chapa já composta, disputará as eleições ao lado da ativista indígena Sônia Guajajara. Filósofo formado pela USP, é um dos mais jovens entre os pré-candidatos e iniciou atuação política na militância da União da Juventude Comunista (UJC).

9. Jair Bolsonaro (PSL)

(Foto: reprodução/internet)

Conhecido pelo discurso conservador e polêmico, Bolsonaro é militar da reserva e acumula o sétimo mandato consecutivo como Deputado Federal. Sem papas na língua, divide opiniões por postura a favor do porte de armas e contra propostas vinculadas aos Direitos Humanos. Defensor do impeachment de Dilma Rousseff (PT), atualmente, é réu no STF por suposta prática de apologia ao crime de estupro e por injúria.

10. João Amoêdo (Novo)

(Foto: reprodução/internet)

O carioca de 55 anos é empresário e chegou a anunciar pré-candidatura em novembro de 2017. Foi presidente da sigla de 2015 até o ano passado, quando se afastou para assumir a concorrência no pleito. É formado em Engenharia Civil e Administração, foi presidente do Unibanco e membro do conselho administrativo do Itaú-BBA.

11. João Vicente Goulart (PPL)

(Foto: reprodução/internet)

Filho do ex-presidente João Goulart, carrega o nome do pai, deposto pela ditadura militar em 1964. Deixou o PDT por insatisfação com o presidente da sigla, Carlos Lupi, ex-ministro do trabalho. Fundou instituto em homenagem ao pai e se candidata pela primeira vez à presidência da República.

12. Levy Fidélix (PRTB)

(Foto: reprodução/internet)

Esta é a quarta candidatura de Fidélix à presidência. Disputou pleitos em 1994, 2010 e 2014, mas nunca teve acesso ao segundo turno. Em 2014, chamou atenção negativa do público LGBT e chegou a ser condenado a pagar R$ 25 mil por proferir discurso homofóbico ao dizer que “aparelho excretor não reproduz”. Jornalista por formação, trabalhou na campanha de Collor em 1989 e chegou a disputar eleições para vereador, prefeito e deputado federal por São Paulo. Também em 2014, prometeu que acabaria com impostos sobre medicamentos.

13. Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

(Foto: reprodução/internet)

Lula já ocupou o Planalto por dois mandatos consecutivos e foi cabo eleitoral para eleição de Dilma Rousseff (PT). Fundou a legenda em 1980, foi derrotado por Collor em 1989, e duas vezes por por Fernando Henrique Cardoso.

Em Julho do ano passado, foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O processo da Operação Lava Jato relacionou o ex-presidente, e atual pré-candidato, a um tríplex no Guarujá.

Na segunda instância, colegiado manteve a condenação além de aumentar a pena para 12 anos e um mês de reclusão. Ele nega todos os crimes e se afirma inocente. Nesta semana, dois ônibus da caravana de campanha do ex-presidente foram alvejados por quatro tiros no Paraná. Lula aponta para “levante fascista”.

14. Manuela D’Ávila (PCdoB)

(Foto: reprodução/internet)

Com 36 anos, a jornalista Manuela é uma das três pré-candidatas que representam o público feminino nas eleições de 2018. Jornalista de formação, iniciou carreira no movimento estudantil, quando foi vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE). Se elegeu vereadora em Porto Alegre em 2004 e, em 2016, foi eleita para a Câmara dos Deputados, onde foi reeleita em 2010. É a primeira candidatura à presidência desde 1989, já que o PCdoB optou por integrar coligações e apoiar candidatos como Lula e Dilma. Manuela chegou a disputar a prefeitura de Porto Alegre por duas vezes, mas não foi eleita.

15. Marina Silva (Rede)

(Foto: reprodução/internet)

Considerada terceira via entre Dilma (PT) e Aécio (PSDB) nas eleições de 2014, que disputou pelo PSD, Marina, atualmente na Rede, é pré-candidata em mais uma eleição presidencial. Foi deputada estadual no Acre e senadora pela mesma unidade federativa por dois mandatos. Foi ministra do Meio Ambiente no Governo Lula. Ex Petista, deixou a legenda onde estava desde 1986 em 2009, quando se filiou ao PV, por meio do qual concorreu ao planalto em 2010. Em 2014, assumiu a candidatura após a morte de Eduardo Campos, falecido em um acidente aéreo.

16. Rodrigo Maia (DEM)

(Foto: reprodução/internet)

No quinto mandato consecutivo como deputado federal, é o atual presidente da Câmara dos Deputados. Assumiu o posto após renúncia e consequente cassação de Eduardo Cunha (PMDB). Em 2017, presidiu o Democratas, legenda que ajudou a fundar e disputa a presidência pela primeira vez.

17 . Valéria Monteiro (PMN)

(Foto: reprodução/internet)

Ex-apresentadora do Jornal Nacional e do Fantástico na década de 1990, a jornalista que atualmente é proprietária de uma produtora filiou-se ao partido no início do ano, embora tenha anunciado sua pretensão de participar do pleito ainda setembro de 2017, quando ainda não estava em nenhum partido.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.