MENU

11/06/2019 às 17h53min - Atualizada em 11/06/2019 às 17h53min

Ameaça de morte e Homem de Ferro: vereadores de Caldas Novas protagonizam briga incomum

Reprodução

Uma desavença entre membros da Câmara Municipal de Caldas Novas, município a 170 quilômetros de Goiânia, está chamando a atenção dos moradores. Isso porque o presidente da Casa denuncia que foi ameaçado de morte por parte de um vereador que teria chamado os colegas parlamentares de “ladrões”, além de ter se fantasiado de Homem de Ferro dentro do Plenário da Câmara. As ameaças teriam sido registradas num print de conversa de WhatsApp, e teriam vindo depois que o presidente da Câmara autorizou a abertura de um processo de quebra de decoro contra o colega.

Os prints aos quais a reportagem do Dia Online teve acesso mostram uma suposta conversa entre o vereador Rafael Moraes (PTB), e o procurador da Câmara Municipal de Caldas Novas, ocorrida no início deste mês de junho. Nas conversas, é possível ver mensagens atribuídas ao vereador Rafael Moraes onde ele diz que o presidente da Câmara, Geraldo Pimenta (PP), “não seria presidente até o final do mês”, uma vez que “morto não preside nada”.

As supostas ameaças de morte contra o presidente da Câmara, que também é pastor da Assembleia de Deus, teriam sido motivadas por um processo aberto contra o vereador Rafael por quebra de decoro. Como confirmado tanto por Geraldo quanto por Rafael, durante uma sessão no Plenário o vereador do PTB reproduziu um trecho de uma famosa música, que diz: “Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão!”.

Vereador foi à Câmara de Caldas Novas vestido de Homem de Ferro

No dia 3 de junho, na cassação do vereador Rafael por quebra de decoro, o parlamentar resolveu vestir-se como seu personagem preferido da Marvel: o Homem de Ferro. Rafael postou uma foto em suas redes sociais usando o capacete do personagem no Plenário da Câmara, usando a bandeira do município de Caldas Novas como capa.

Na época, por meio de nota, a Câmara Municipal de Caldas Novas informou que o vereador teve “práticas incompatíveis com o exercício do mandato parlamentar e ofensivo à dignidade institucional do Poder Legislativo local”. Moraes teria dito também, em sessão, que vereadores teriam recebido suposta “mesada” de uma estatal para não aprovar uma CPI.

Entretanto, o processo de cassação foi arquivado devido à falta do número mínimo na formação de uma comissão especial de investigação.

Vereador nega ameaças de morte a Presidente da Câmara

Nos prints obtidos pelo Dia Online (veja abaixo), é possível ver uma suposta conversa entre o vereador Rafael Moraes e uma pessoa que seria o procurador da Câmara. No meio da conversa, Moraes teria dito que o presidente da Câmara, Geraldo Pimenta (PP), “não seria presidente até o final do mês”, uma vez que “morto não preside nada”.

 

 

O presidente Pimenta acabou tendo acesso à conversa, e foi à delegacia da cidade, onde registrou um Termo Circunstanciada de Ocorrência (TCO) contra Rafael Moraes. Entretanto, ao Dia Online, Moraes diz que o print “não passa de uma montagem”.

“Essa é mais uma tentativa de me calar. Isso começou em março, quando notifiquei o presidente a prestar contas da Câmara, desde então ele tem tentado me calar”, declara.

Ainda conforme o vereador, a conversa com o procurador na Câmara, na verdade, foi para esclarecimentos quanto ao rito do processo que poderia fazê-lo perder o mandato, e que ele não ameaçou o vereador Pimenta de morte. “Eu posso ter dito algo como “eu vou matar ele de raiva”, uma expressão comum, mas eu jamais ameaçaria alguém de morte. Essa é uma montagem, uma tentativa de me silenciar”, diz.

O vereador contou também que o presidente da Câmara teria chegado até ele e dito: “Eu vou inventar uma denúncia de ameaça de morte contra você!”. “Ele chegou em mim, disse isso mostrando o celular e se afastou, rindo”, conta Rafael Moraes.

“Tudo o que ele faz é midiático”, diz presidente da Câmara sobre vereador

O vereador e presidente da Câmara de Caldas Novas parece discordar com veemência da versão dada por Moraes. Segundo ele, a ameaça de morte estaria provada nos prints apresentados à polícia.

Quanto à versão apresentada por Rafael Moraes, de que ele teria dito que inventaria uma denúncia contra o vereador, Pimenta diz: “Jamais. Isso não condiz com minha conduta, meus princípios. Agora, se ele diz que os prints são falsos, a investigação vai dizer”, declara.

O presidente também disse que “tudo o que o vereador Rafael Moraes faz é midiático”, e que, apenas este ano, teve que lhe dar duas advertências por quebra de decoro. “Ele não respeita ninguém dentro da Casa. Na eleição para presidente da Câmara, quando ele perdeu por um voto, foi até meu gabinete e disse que nunca mais me deixaria em paz”, revela.

Sobre a prestação de contas cobrada pelo vereador Rafael Moraes, Pimenta conta que o o balancete da Câmara foi apresentado em Plenário. “Temos o balancete de janeiro, fevereiro, março e abril, e ele sabe disso, ele tem acesso”, finaliza.

Apesar de ter feito o TCO contra Moraes, Pimenta preferiu não representar criminalmente contra o vereador pelas supostas ameaças de morte.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.