MENU

09/07/2018 às 20h28min - Atualizada em 09/07/2018 às 20h28min

Acatando denúncia do MP, júri condena vigilante Tiago Henrique a mais 21 anos de prisão

MPGO
Foto Reprodução

Em sessão realizada nesta segunda-feira (09/7), o Tribunal do Júri de Goiânia condenou o vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha a mais 21 anos de prisão pelo assassinato de Wanessa Oliveira Felipe no dia 23 de abril de 2014. A pena será cumprida na Penitenciária Odenir Guimarães, em regime fechado.

Acatando a sustentação do promotor de Justiça Maurício Gonçalves de Camargos, os jurados condenaram Tiago por homicídio duplamente qualificado e rejeitaram a tese de semi-imputabilidade apresentada pela defesa do vigilante, que alegou psicopatia do acusado.

Em desacordo com o promotor, o defensor público Jaime Rosa requereu o reconhecimento da semi-imputabilidade. Jaime argumentou que o réu possui transtorno de personalidade antissocial, manifestado pela falta de sentimentos, ausência de culpa e agressividade. Essa tese, porém, não foi aceita.

Na sentença, o juiz que presidiu a sessão do júri, Eduardo Pio Mascarenhas, afirmou que os autos não demonstram o motivo do crime e que as consequências do crime foram graves, especialmente pela sensação de insegurança que o réu trouxe a Goiânia na época.

Já a qualificadora de torpeza (quando o motivo do crime é reprovável, repugnante), também pedida pelo Ministério Público, foi retirada dos autos por decisão do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) em recurso do réu.

Segundo a denúncia, oferecida pelo promotor de Justiça Carlos Alberto Fonseca, Tiago matou Wanessa, de 22 anos, na Drogaria Economed, na Avenida Frei Miguelino, no Condomínio Santa Rita, em Goiânia.

Por volta de 19 horas, a vítima saiu de uma academia de ginástica pilotando uma moto e resolveu parar em uma farmácia antes de seguir para casa. Wanessa entrou no estabelecimento e foi até a seção que fica em frente ao balcão.

Nesse intervalo, Tiago parou a moto e entrou na farmácia, ainda usando capacete, e foi até onde a vítima estava, de costas para ele. Sem dizer qualquer palavra, disparou um único tiro na região dorsal, matando a jovem. Na sequência, o denunciado saiu tranquilamente do local em sua moto, sendo preso posteriormente. (Texto: Melissa Calaça - Estagiária da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO/ Supervisão: Ana Cristina Arruda)


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.