MENU

07/05/2019 às 17h03min - Atualizada em 07/05/2019 às 23h27min

Alpinista Rodrigo Raineri e nutricionista Daniel Cady alertam para importância do preparo nutricional em grandes escaladas

Raineri, o único brasileiro a ter escalado como guia as sete mais altas montanhas dos sete continentes, já está no Nepal para o Projeto Everest 2019; Cady foi responsável pela preparação nutricional do alpinista

DINO


A prática do alpinismo requer técnica, força e concentração. Mas o sucesso das grandes escaladas precisa contar também com o preparo dos alpinistas - e muito disso se dá em função de um planejamento alimentar específico, que começa meses antes da escalada.

O alpinista Rodrigo Raineri, o único brasileiro a ter escalado como guia as sete mais altas montanhas dos sete continentes, e que já está no Nepal para o Projeto Everest 2019, comenta como se preparou para a escalada, com auxílio do nutricionista Daniel Cady.

"Meu preparo e planejamento nutricional tiveram início três meses antes da expedição, quando intensifiquei o consumo de alimentos saudáveis, ricos em vitaminas, proteínas e carboidratos, para já preparar o meu corpo para o intenso desgaste físico e mental que uma expedição envolve", comenta. "Posteriormente, recebi do Daniel a orientação sobre quais suplementos levar na bagagem, principalmente em pontos da expedição que não têm estrutura para o preparo de algum alimento" conta Raineri.

Vale lembrar que as refeições realizadas durante a expedição nas cozinhas dos acampamentos de base costumam incluir alimentos como arroz, lentilha, verduras refogadas, frango e macarrão, já que nestes acampamentos os alpinistas fazem uso das cozinhas equipadas e contam com a ajuda de cozinheiros locais, mas nos acampamentos localizados em altitudes mais altas as refeições começam a ficar mais restritas e os alimentos de rápido preparo, suplementos, granolas e barras de cereais são mais importantes do que nunca. Entre os produtos que o alpinista Rodrigo Raineri leva consigo estão a granola Cróqui e os nuts Ptisq da Feinkost.

Entre os suplementos e alimentos-chave que o alpinista levará em sua mochila durante toda expedição (cuja duração total é de dois meses e inclui etapas em que os únicos alimentos disponíveis são os da própria bagagem), estão: granola (para ser usada como lanche entre as refeições e dar energia), o hit up (um sachê de um novo suplemento a base fitoterápicos para aumentar a termogênese, ou seja, vai aumentar a produção calor), o BCAA em sachê (usado para diminuir a perda de massa muscular e acelerar a recuperação muscular) e a D-ribose (um suplemento que é fonte de carboidrato ideal para quem fará longas caminhadas). Seguindo orientação do nutricionista, a bagagem também inclui beta-glucana (probiótico que ajudam a evitar a diarreia e a reforçar a imunidade), taurina (cápsulas usadas para aumentar o foco mental), vitamina C e maca peruana (que ajuda na adaptação às diferentes altitudes, funciona como um tônus mental e físico).

Além da nutrição, outro ponto importante durante expedições como a do Projeto Everest 2019 é a hidratação. É importante lembrar que o ar extremamente frio e seco contribui para a desidratação, por isso a necessidade de se tomar de 3 a 4 litros de líquidos ao dia. Para conseguir água para o consumo durante a subida da montanha, é necessário derreter a neve em pequenos fogareiros.

Quando a expedição é finalizada, é hora de recuperar toda a energia gasta. Nesta etapa, o alpinista Rodrigo Raineri procura intensificar o consumo de alimentos como frutas, saladas, carnes, que são ricos em fibras e proteínas, ideais para a recuperação de massa muscular e reposição de nutrientes. No retorno ao Brasil, o alpinista já está programando um descanso no Spa Lapinha para recarregar as energias.

"No retorno da expedição o recomendado é seguir uma estratégia de recuperação, que inclui muitas horas de sono, muita hidratação e uma dieta hipercalórica em nutrientes de qualidade que inclua ovos, carnes magras, peixes, frutas, verduras e legumes. É importante também fazer uma reposição de vitaminas e minerais para reabastecer com organismo com tudo o que foi perdido durante a expedição, reforçando a imunidade com zinco, selênio, vitaminas C, D e E para não adoecer", comenta o nutricionista Daniel Cady.

O Projeto Everest 2019 conta com o patrocínio master do CPqD e patrocínios da 4BIO, BR3 Engenharia, Destinos Inteligentes, Clínica Visão Serra e Guilherme Benchimol. Apoio da Cia Athletica, Thule, Instituto Trata Campinas, Feinkost, Solo Equipamentos, Spa Lapinha, Sol Paragliders, Daniel Cady Nutrição Personalizada, SPOT e ABP (Associação Brasileira de Parapente). A realização do projeto é de Raineri Consultoria & Projetos Especiais.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.