13/03/2018 às 22h27min - Atualizada em 22/03/2018 às 11h59min

Feminismo x Feminilidade

O que é ser mulher? Entre tantas conclusões que podemos chegar acerca do que é ser mulher, vemos que saímos de uma polaridade a outra. Toda a revolução feminina a cobrança de igualdade de gêneros nos fez trafegar nos opostos das questões relacionadas à independência, autossuficiência e justiça entre gêneros. E qual seria o caminho para conquistar o equilíbrio feminino? Como ser independente sem deixar de ser mulher?
Há pouco tempo fiz alguns trabalhos de treinamento e orientação focados em como evitar assédio. Me senti feliz por ajudar outras mulheres e ao mesmo tempo refleti sobre como minhas dicas seriam interpretadas. Percebi que por medo de sofrer algum tipo de abuso somos muitas vezes extremistas e até afastamos os homens. Conversando com algumas mulheres vi que muitas têm dificuldade de discernir entre o que é abuso e o que cuidado, paquera ou galanteio. É importante estarmos atentas para impor nossos limites, entretanto isso não significa que devemos anular a possibilidade de despertar o interesse de outras pessoas. Isso quer dizer não generalizar, não deixar que o abuso de um proíba a gentileza do outro.
A necessidade de igualdade de classes nos faz muitas vezes ser muito duras. Esquecemos da nossa delicadeza, do instinto feminino e da nossa feminilidade.
As decepções que todas nós, mulheres, temos em alguma fase da vida, nos faz despertar, empoderar e ir de um extremo ao outro. Criamos um orgulho que nos faz mover céus e terras e assim declaramos a independência feminina. Essa honra as vezes nos fortalece tanto que nos faz criar uma capa protetora que proíbe os outros de se aproximarem verdadeiramente, não nos permite deixar ser cuidadas, precisar do outro ou até mesmo falhar.
Existe uma linha muito tênue entre se proteger e se permitir ser amada e é preciso ter cuidado para não esquecer de deixar fluir a nossa essência de mulher.
Além disso, muitas vezes a felicidade da mulher vem carrega de culpa. Criamos uma ideia de que uma mulher de verdade é aquela que é uma boa mãe e esposa exemplar, que tem a missão de cuidar dos outros e esquece de se cuidar, como se a prioridade para si mesmo fosse motivo de culpa, e esquecemos nossas necessidade de atenção e de cuidados.
O equilíbrio entre a independência feminina e a feminilidade é uma busca constante que pode parecer muito difícil, no entanto é muito simples. Basta estar sempre atenta para distinguir entre igualdade de direitos e se deixar ser mulher. É ser forte sem deixar de ser delicada. Pense nisso. Permita-se! Permita-se ser cuidada, pedir ajuda, ser frágil, feminina, amada. Permita-se ser mulher.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.