10/10/2019 às 17h46min - Atualizada em 10/10/2019 às 17h46min

Gaeco de Uberlândia divulga balanço da Operação ‘Torre de Babel’, que também ocorreu em Uberaba e Monte Carmelo

G1
Reprodução
Gaeco cumpre mandados em Uberlândia contra vereadores em Operação "Torre de Babel" — Foto: Reprodução/TV Integração

Gaeco cumpre mandados em Uberlândia contra vereadores em Operação "Torre de Babel" — Foto: Reprodução/TV Integração

A Operação “Torre de Babel”, comandada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Uberlândia, cumpre nesta quinta-feira (10), mandados de prisão e busca e apreensão na cidade e, também, nos municípios de Uberaba e Monte Carmelo. São mais de 100 investigados.

 

Segundo o Gaeco, foram cumpridos 94 mandados de prisão preventiva e temporária contra 69 investigados, dos quais 25 já se estavam recolhidos em unidades prisionais da região.

Os alvos da operação são três organizações criminosas distintas envolvidas em roubos de carga, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, receptação de veículos, irregularidades em contratos públicos e até homicídios.

Segundo o Gaeco, a primeira organização criminosa investigada tem como foco o roubo de caminhões e cargas e as cidades de Uberlândia e Itumbiara (GO) como base de atuação.

O chefe já foi preso na Operação “Irmãos Metralha”, deflagrada em junho de 2019. O consórcio criminoso chefiado por ele é suspeito de ter praticado dezenas de crimes de roubo de caminhões e cargas no Triângulo Mineiro e na região sul de Goiás, além de inúmeros delitos de homicídio, corrupção ativa, falsificação de documento público e lavagem de dinheiro.

Conforme o Gaeco, a segunda organização criminosa, com base em Uberlândia, tem como principal foco a receptação de cargas e carretas, além do desmanche destes veículos.

A organização é responsável pela receptação de veículos e cargas roubadas e desviadas por outros grupos criminosos e conta com a participação de agentes públicos. A ação referente a esta quadrilha é desdobramento da Operação “Dominó”, deflagrada em dezembro de 2018.

Conforme as investigações, a terceira organização criminosa funciona como milícia e é chefiada por um policial militar. A atividade consiste na prática de diversos crimes por encomenda, incluindo homicídios, extorsões, ameaças, obstrução de justiça, roubos com utilização de informações privilegiadas.

O grupo também praticou o crime de obstrução de Justiça, em junho de 2017, mediante intimidações contra um motorista de van que estava tomando providências legais para apuração de crimes praticados pelos dirigentes de cooperativas responsáveis por explorar o serviço de transporte escolar em Uberlândia. As infrações penais envolvem dois vereadores da cidade.

Entre os investigados na operação desta quinta-feira, estão dez policiais militares, quatro policiais civis e três advogados. Participaram dos trabalhos três promotores e cerca de 370 policiais.

VÍDEO DA MATÉRIA

A operação contou com o apoio dos Gaecos do Distrito Federal, Goiás, além da cidade de Patos de Minas, Promotoria de Justiça do Controle Externo das Atividades Policiais de Belo Horizonte, Procuradoria da República de Uberlândia e do Sistema Prisional de Minas Gerais.

Apesar de citar as cidades de Uberaba e Monte Carmelo, o Gaeco não especificou onde e contra quem foram cumpridos os mandados de busca e apreensão e prisão nestes municípios. Ainda há mandados expedidos para Itumbiara (GO).


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.