13/05/2022 às 19h40min - Atualizada em 14/05/2022 às 00h00min

Gato Preto: de onde vem a história do azar?

Existem mais felinos com pelagem negra do que qualquer outra cor

SALA DA NOTÍCIA Rosangela Andrade
Freepik

Durante a história, os felinos passaram por muitas situações. No Egito, os gatos de todas as cores tiveram a sua melhor fase, pois eram considerados deuses e adorados pela população. O gato preto chegou até a ser venerado pelos antigos egípcios, que acreditavam que eles eram símbolo de boa sorte e tinham personificação da deusa Bastet, que era retratada com a cabeça de um gato preto e um corpo humano.

Mas, a expansão do Cristianismo fez com que os gatos saíssem do estado de adoração e passassem a ser perseguidos, especialmente os gatos pretos, que eram considerados a cor do mal e bruxas disfarçadas. Esses acontecimentos, iniciados na Idade Média, foram responsáveis pela errada associação do gato preto com o azar e por creditar à sexta-feira 13 a data relacionada às trevas e às bruxas.

Mesmo sendo a maioria, visto que, segundo o ASPCA (American Society for the Prevention of Cruelty to Animals), existem mais gatos pretos do que qualquer outra cor de pelagem, eles ocupam o último lugar na lista de preferência dos adotantes, ficando anos e anos a espera de um humano para lhes dar o amor e carinho que tanto merecem.

E para quem quer adotar um gatinho, Thais Matos, médica veterinária da Doghero, separou algumas dicas fundamentais para esse processo:

Gatos demandam tempo — Muitas pessoas acreditam que, por serem mais independentes, os gatos não demandam tempo. De fato, é um animal com um nível de independência maior, mas isso não significa que eles não se sintam sozinhos ou que não precisam de companhia. É importante entender que vai, sim, existir a necessidade de dedicar um tempo ao seu bichano.

Consulte um veterinário — Um passo fundamental na adoção de qualquer animal, os gatos não são diferentes. Entender quais os pontos principais de cuidado e a visão de um especialista sobre a saúde do seu animalzinho é muito importante. Vacinas, vermífugos, check-ups, castração e, até mesmo, ajuda na hora de escolher a ração ideal, são processos que um médico veterinário pode auxiliar o tutor.

Enriquecimento ambiental — Apesar de dormirem de 15 à 20 horas por dia, quando acordados, os gatos gostam de brincar e gastar as energias, principalmente os filhotes. Ter um ambiente enriquecido com arranhadores, prateleiras (gatos gostam de ficar no alto!) e brinquedos diversos ajudará o gatinho a não se entediar facilmente.

Gatos devem ficar em casa — Muitas pessoas ainda acreditam que os gatos precisam de “passeios” para ficarem felizes, mas isso é falso. Além de diminuir drasticamente a expectativa de vida - gatos que vivem na rua ou têm acesso a ela, vivem em média 6 anos, enquanto gatos que ficam em casa podem viver até 20 anos. O animal que visita a rua pode contrair uma série de doenças, como FILV e FELV, vermes, pulgas, carrapatos, sofrerem maus tratos e também acabar com populações de animais silvestres locais, dado seus hábitos de caça. Por isso, é fundamental que apartamentos sejam rolados e as casas não tenham acesso à rua.

“Além de todos esses pontos, é importante frisar que os gatos gostam de água corrente ou fresca, então, é sempre bom considerar uma fonte, para eles serem estimulados a consumir mais água e não tenham um problema renal no futuro”, menciona Thais.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.