31/01/2022 às 11h57min - Atualizada em 31/01/2022 às 12h40min

Projeto sobre skate motiva jovens da Fundação CASA de Itapetininga

Oficina será ministrada pelo skatista profissional, Garcia Rodrigues

SALA DA NOTÍCIA Assessoria Fundação CASA
Os jovens que cumprem medida socioeducativa no CASA Esperança (DRS), localizado na cidade de Itapetininga, participarão a partir da próxima sexta-feira (04/02), às 09h, da primeira atividade do projeto “Skate Transforma VIDAS e Muda Histórias!!!”.
As aulas serão realizadas, voluntariamente, pelo skatista profissional, Garcia Rodrigues, que é pai da também skatista e atleta da seleção brasileira, Isabelly Ávila, que desde o ano passado se encontra no “Top 10” mundial da modalidade.
A oficina abordará tanto a parte teórica, com depoimentos de egressos que participaram do projeto no começo e que hoje buscam se profissionalizar no esporte, quanto a parte prática, que são as manobras e técnicas de base.
De acordo com o diretor do centro socioeducativo, André Luiz Mendes Coelho, o projeto tem como objetivo motivar os jovens a buscarem, nesse esporte, novas formas de lazer. “O skate é uma ferramenta muito importante, pois ganhou um destaque muito grande como modalidade desportiva e também trabalha conceitos como inclusão social e protagonismo juvenil”, comentou.
Para o skatista, Garcia Rodrigues, a identificação com o projeto e com a chance de dar uma nova oportunidade para os jovens foram os principais fatores da retomada. “Eu, particularmente, me identifiquei muito com esse projeto. Alguns dos jovens que tinha contato no meio do skate e que eu ajudava, acabam parando na Fundação, e isso me entristecia muito”, explicou.
Por isso, o profissional decidiu agir. “Meu foco com a retomada é ajudar para que esses adolescentes consigam dar a volta por cima, trilhando novos caminhos. Quero ser um braço para eles mudarem de vida e enxergarem novas oportunidades, não só no skate, mais em qualquer outra escolha que eles tiverem”, destacou.
Para o secretário da Justiça e Cidadania e presidente da Fundação CASA, Fernando José da Costa, o esporte e a inclusão social são essenciais no processo de ressocialização. “O skate tem como padrão superar obstáculos e barreiras e estar presente no cotidiano dos jovens. Acredito que este projeto gerará neles o sentimento de pertencimento e de inclusão social que norteia o processo socioeducativo”, concluiu.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.