MENU

07/05/2021 às 10h58min - Atualizada em 08/05/2021 às 00h07min

Três razões para não compactar a maquiagem quebrada com álcool

Kika Chammas, farmacêutica e fundadora da Dermare, marca brasileira de dermocosméticos, é quem lista os principais perigos em usar o álcool para recuperar produtos danificados

SALA DA NOTÍCIA Isabella Sala de Andrade
Divulgação
Quem nunca deixou a maquiagem cair no chão e se despedaçar inteira? A primeira coisa que vem na cabeça é entrar na internet e procurar dicas para compactar a maquiagem e reparar os danos que foram causados pela queda. Porém, é preciso tomar cuidado, porque muitas opiniões são equivocadas e podem colocar a saúde da pele em risco. Os produtos que, em sua maioria, possuem álcool em sua fórmula, usados para diluir a maquiagem que está quebrada, acabam mudando a sua composição química, trazendo vários problemas para a pele, como, por exemplo, a diminuição da umidade natural e a remoção da barreira de proteção da epiderme, responsável pela proteção e hidratação da pele, deixando-a irritada, avermelhada e exposta a bactérias.

Pensando em esclarecer os danos que podem ser causados pelo uso inadequado de produtos para recompactar a maquiagem danificada, Kika Chammas, farmacêutica e fundadora da Dermare, marca brasileira de dermocosméticos para tratamentos estéticos, faciais e corporais, que está há 10 anos no mercado em busca de uma forma natural de se cuidar, lista, a seguir, três razões para você tomar cuidado e não usar o álcool como alternativa:

1. O álcool pode provocar a proliferação de fungos e bactérias
Mesmo o produto ficando seco e o álcool evaporando, pode acontecer a proliferação de fungos e bactérias na maquiagem utilizada. “Quando você coloca álcool na maquiagem, os ativos que foram usados para conservação do produto são diluídos. Isso irá causar alterações em toda estrutura da fórmula e poderá deixar o produto mais suscetível à multiplicação destes micro-organismos”, explica a farmacêutica.

2. A maquiagem contaminada pode causar doenças na pele
Segundo a especialista, o uso de produtos com bactérias e fungos, resultados da aplicação do álcool, pode prejudicar a pele, causando doenças como as dermatites de contato, dermatite alérgica ou micose. “É necessário ter cautela, pois a maquiagem contaminada com fungos e/ou bactérias, ao entrar em contato com a pele, pode causar doenças e infecções, ocasionando irritação, vermelhidão e coceira”, completa Kika.

3.  A mudança das concentrações pode causar reações adversas
Kika ressalta que as concentrações inadequadas de qualquer substância química podem causar doenças e reações inesperadas no corpo do ser humano, que, dependendo do produto, podem ser alérgicas ou até mesmo tóxicas. "Existe uma concentração correta permitida pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para cada substância química que encontramos nos produtos e a sua mudança pode causar consequências inesperadas. Invista na sua saúde, que é o nosso bem mais importante”, finaliza a profissional.

Sobre Kika Chammas
Fundadora da Dermare, marca de dermocosméticos para tratamentos estéticos, faciais e corporais, que nasceu de um sonho de infância da farmacêutica Elcy Chammas, mais conhecida como Kika, que, quando criança, brincava de produzir perfumes e cremes usando misturas de folhas e flores que, por meio da maceração, se tornavam cosméticos únicos para as suas bonecas. Com um investimento inicial de R$150 mil, a empresária fez surgir a brand nacional, que já está há 10 anos no mercado, trazendo um portfólio exclusivo de cosméticos não testados em animais para uso profissional, de esteticistas, e produtos home care, para pessoas que querem manter o resultado dos tratamentos feitos em cabine, ou seja, nas clínicas de estética.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.