MENU

03/03/2020 às 12h31min - Atualizada em 04/03/2020 às 18h20min

O novo Coronavírus e o papel das empresas na detecção e contenção da doença

O novo Coronavírus e o papel das empresas na detecção e contenção da doença
 
Os profissionais de saúde das corporações têm papel fundamental na prevenção desse novo vírus que colocou o mundo em alerta
 
         O novo Coronavírus, intitulado Covid-19, está se espalhando pelo mundo. Tanto que a Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou, em 28 de fevereiro, para “muito alto” o risco mundial da epidemia. O órgão descartou, por enquanto, uma pandemia, quando uma epidemia atinge a maioria dos países, em todos os continentes.
         O novo vírus já está em território nacional, que já contabiliza mais de 180 casos suspeitos em mais de uma dezena de estados, e dois confirmados em São Paulo.
         Mas como prevenir que essa contaminação se espalhe?
         O Ministério da Saúde tem comunicado de forma eficiente a população, mas todo e qualquer mecanismo de informação (de verdade) é bem-vindo neste momento. A medicina ocupacional ganha protagonismo com o RH da empresa, orientando todos os trabalhadores quanto as formas de prevenção; também identifica possíveis casos, já que o medo do desemprego pode fazer com que o trabalhador não comunique os sintomas de uma infecção, ou contato com um infectado, aumentando o contágio.
         Ricardo Pacheco, médico, gestor em saúde, diretor da OnCare e presidente da Associação Brasileira de Empresa de Saúde e Segurança no Trabalho (ABRESST), lembra que esse profissional de saúde tem experiência para identificar os sintomas da infecção pelo novo Coronavírus, notificando as autoridades de saúde para confirmação e procedimentos. “Os coronavírus humanos comuns causam infecções respiratórias brandas e moderadas de curta duração. Os sintomas podem ser coriza, tosse seca, dor de garganta e febre. São sinais que exames clínicos simples detectam. É uma entrada importante para um tratamento especializado e seguro”, destaca.
         Para o gestor em saúde, esse acompanhamento é primordial para evitar que já nessa fase inicial, o vírus se espalhe. “Já nos primeiros sintomas o médico do trabalho pode pedir exames complementares para a detecção do Covid-19 e, afastar imediatamente esse trabalhador até que se dê a confirmação. Em confirmando a infecção, a doença deve ser notificada junto ao Ministério da Saúde e esse trabalhador colocado em quarentena. Os demais trabalhadores que tiveram contato com esse então caso confirmado, devem ser monitorados e examinados por duas semanas, até que não haja mais a possibilidade de contaminação no ambiente laboral”, explica o presidente da ABRESST.
 
Programas de prevenção nas empresas são replicados nas famílias dos trabalhadores
         Os programas de prevenção de doenças que são implementados nas empresas são disseminados pelos trabalhadores para suas famílias. Isso já aconteceu com programas contra o tabagismo e alcoolismo, por exemplo. Contra a transmissão do novo Coronavírus não é diferente.
         Por isso Ricardo Pacheco recomenda que os médicos do trabalho, em conjunto com os recursos humanos, implementem programas de prevenção nas corporações. “São ações que não implicam em grandes investimentos e nem na paralisação das atividades. Pequenas encontros para tratar da correta higienização das mãos e todos os cuidados simples de boa convivência, como não espirrar na parte interna do cotovelo, manter a higienização de objetos e locais de muito contato fazem a diferença quando o assunto é a proliferação de vírus, do novo Coronavírus e da influenza, que causou a morte de 339 pessoas até junho do ano passado. A empresa pode orientar com ações simples e eficazes. Certamente é melhor do que ter um trabalhador (ou vários) afastado pela doença, e pior, um quadro inteiro de profissionais apavorados com uma possível infecção”, alerta o médico e diretor da OnCare.
              
Debate Nacional sobre Saúde e Segurança no Trabalho
         No dia 3 de abril próximo vai acontecer o Debate Nacional sobre Saúde e Segurança no Trabalho, um evento organizado e promovido pela ABRESST - Associação Brasileira de Empresas de Saúde e Segurança no Trabalho.
         O debate abordará assuntos de alta relevância não apenas para todos da área de segurança e saúde no trabalho, mas para toda a sociedade, o como as discussões em torno das Normas Regulamentadoras 29 (trabalho portuário), 30 (trabalho aquaviário) e 32 (serviços de saúde); e claro, o novo Cooronavírus.
         O encontro acontecerá no Paulista Wall Street Hotel
         Rua Itapeva, 636 – Bela Vista, São Paulo. Está a 320 metros da Avenida Paulista, ao lado da estação Trianon- Masp do metrô.
 
Credenciamento para a imprensa acesse: https://forms.gle/DtcAfzxLagsADFuH6
 
 
Sobre a OnCare
         A OnCare é uma plataforma de solução integrada de saúde, que oferece assessoria e consultoria, para empresas e para população em geral. Dentro dessa plataforma, de gerenciamento macro, está a assistência médica que também garante a assistência integral social e à saúde dos beneficiários e seus dependentes, com ações de promoção, proteção, recuperação e reabilitação, de forma a contribuir para o aprimoramento do sistema social e de saúde do Brasil.
 
Mais informações
Sandra Cunha, jornalista
Mtb 26.095
sandracunhapress@terra.com.br
(11) 99694.8607 (whatsapp)
 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.