14/02/2017 às 23h23min - Atualizada em 14/02/2017 às 23h23min

Contrato de privatização da Celg D é assinado

Diário de Goiás

O processo de venda da Celg foi finalizado. A italiana Enel assumiu oficialmente o controle da companhia energética durante solenidade realizada nesta terça-feira (14) no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia. A promessa é de um investimento em 3 anos na ordem de US$ 800 milhões, o equivalente a R$ 2,5 bilhões.

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), ressaltou destacou que a Enel estudou as possibilidades de investimentos no estado e que terá sucesso nas operações, por conta do potencial econômico. Ele avaliou que a venda da Celg será benéfica para a população, pois o governo não tinha condições de fazer as ações de melhorias necessárias, assim como a Enel terá. Ele afirmou que o Estado fiscalizará terá condições de arrecadar com mais impostos a partir de mais geração e distribuição de energia.

“Há o compromisso para investimentos de US$ 800 milhões para estes primeiros três anos para atender a demanda e modernizar todo os sistema de distribuição de energia aqui no estado. Estou convencido de que todos vamos ganhar, todos os consumidores comerciais, residenciais, de serviços, do agronegócio”, afirmou.

A Celg foi vendida por R$ 2,187 bilhões (aproximadamente 640 milhões de dólares americanos).

Melhoria dos serviços

O representante da empresa Enel no Brasil, Carlos Zorzoli, disse que tecnologia a ser aplicada na rede de distribuição de energia resultará em diversos benefícios, principalmente a longo prazo. Ele explicou que já no primeiro ano será possível reduzir em até 20% na redução na quantidade de interrupções de energia elétrica.

“Estamos falando em investir em tecnologias que permitem melhorar a qualidade do serviço no sentido de reduzir o prazo de falta de energia quando há falta de energia. Em um ano já pensamos na redução de 20% na quantidade de interrupções. A operação da companhia não vai ser limitar a estes investimentos, vamos trabalhar para melhorar as conexões, para atender a demanda reprimida”, destacou Zorzoli.

O representante da empresa ainda não detalhou onde serão realizados os primeiros investimentos, apenas que revisará os planos que já estavam sendo trabalhados pela direção anterior. Já sobre o quadro de funcionários, Carlos Zorzoli disse que seria prematuro dizer o que será feito neste momento.

Área Rural

Há a intenção da empresa Enel é de fortalecer o sistema de eletrificação rural em Goiás. O governador Marconi Perillo disse que a meta é universalizar o sistema elétrico no campo. Hoje 90% das propriedades contam com energia elétrica. O representante da Enel, disse que além da rede elétrica, há ainda a possibilidade de oferecer outras alternativas para o fornecimento de energia.

O presidente da Federação, Agricultura e Pecuária de Goiás, José Mário Schreiner, ao Diário de Goiás, informou que serão realizadas reuniões mensais para avaliação dos serviços prestados pela Enel.

Aplicação dos recursos da venda

De acordo com Marconi Perillo, já foi depositado na conta do governo cerca de R$ 1,1 bilhão pela venda da empresa, a ser ainda descontados os impostos. O governador explicou que os recursos serão aplicados em obras e em serviços estratégicos. Um calendário será apresentado posteriormente.

“Os recursos serão aplicados somente em investimentos, nada em custeio. Investimentos na infraestrutura do estado: Estradas, Saneamento, na Saúde, na Educação, e na Segurança Pública, fundamentalmente. Também queremos investir parte de recursos na capitalização da Companhia de Saneamento do Estado. São obras fundamentais para a nossa economia, estruturantes”, destacou Perillo.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.