17/04/2017 às 01h20min - Atualizada em 17/04/2017 às 01h20min

A páscoa.

Tirado dos pobres para os ricos

Charles Rezende
site pavablog. nome do desenhista na foto
O significado da páscoa foi escandaloso demais para Nietzsche, que a enxergava como a decadência do Ocidente - Como constatou meu amigo (e mentor) Willian Felipe Zacarias, em seu TCC. "Para ele, este avanço significa, na verdade, um retrocesso, pois os fracos e os malogrados devem sucumbir: primeira tese de nosso amor à humanidade. E ainda devem ser ajudados nisso. O que é mais danoso do que qualquer vício? – A compaixão ativa por todos os malogrados e fracos – o cristianismo”. Essa compaixão, é a pascoa.

A subversividade da páscoa foi mais ou menos entendida por Napoleão. Pelo menos em uma frase atribuída a ele: “Alexandre, César, Carlos Magno e eu mesmo fundamos impérios, mas à base de que firmamos as criações do nosso gênio? À base da força. Só Jesus Cristo fundou seu reino à base do amor, e até hoje milhões de homens morreriam por ele”. Morrer com Cristo, carregar nossa Cruz; isto é a pascoa.

A páscoa é o que diferencia Jesus dos deuses mitológicos, e escandaliza a tradição judaica: Deus, em carne e osso, sendo morto pelos homens, se entregado a eles . Nada mais vil e amaldiçoado que um ato Blasfematório desses – que nunca combinaria com nenhum deus que queira deixar sua moral em alta.
 
A páscoa é o retorno à esperança de vida nova e livramento.

Páscoa - Pessach (do hebraico פסח, que significa passar por cima ou passar por alto[1]) é a "Páscoa judaica", também conhecida como "Festa da Libertação", e celebra a libertação dos hebreus da escravidão no Egito em 14 de Nissan no ano aproximado de 1440 a.C (para os conservadores) ou 1280 a.C. (para os liberais)¹-². Comemora a saída do povo de Israel da escravidão do Egito. Depois, em celebração e memória, eles se vestiam como se fossem  cair na estrada denovo, pegavam seus cajados, e, alem de outros rituais, sacrificavam um cordeiro. Lembrança da ordenança do Senhor,  que, para que a última praga do Egito não os atingisse, o sangue de um cordeiro imolado fosse usado para molhar os umbrais (mezuzót), para que seus primogêitos
 não fossem acometidos pela morte. Toda uma execução feita por causa daquela memorável vitória.

A páscoa cristã comemora o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo³. Que é foi totalmente suficiente – ou seja, não é necessário mais nenhum outro sacrifício. Além de substitutivo, ele nos livra da morte, pois todos morreram com Jesus na Cruz. Não sabia que já moremos e a morte não tem poder sobre nós?! Pois é, isso que é liberdade, isso que é alegria - bem melhor que um pedaço de chocolate.
 
 
1. Dicionário internacional de teologia do Antigo Testamento, pág. 1.223. Editora Vida Nova. Edição: 1998. ISBN.
2. Ministério do Turismo de Israel
3.  (João 1:29)
 
Link
Relacionadas »
Comentários »
Contato pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco.